Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 22 de março de 2011

2 lições da agulha

Falo de agulha e seringa para recolher sangue para análises clínicas.
Ontem passei por essa experiência, como acontece com todos nós, ocasionalmente.

A diferença esteve em ter recorrido, desta vez, ao serviço de análises dum hospital público.
A diferença esteve na picada: já sofri mais com mordidas de formiga ou de melga!
Quase nem me apercebi da entrada da agulha na veia.

Esta incrível "leveza" da enfermeira não estará seguramente dissociada da imensa prática. Durante duas ou três horas por dia, as enfermeiras daquele serviço atendem centenas de utentes, todos os dias.
Repetem, portanto, dezenas de vezes por dia aqueles gestos. Garrote, espetar a agulha, recolher sangue para o tubo, retirar agulha, penso rápido na ferida...

Ora a repetição é muitas vezes por nós associada com "trabalho chato", "aborrecido", insatisfatório.

Na verdade, aquele serviço dum hospital público pode oferecer aos gestores duas lições:
  1. Como dizem os americanos, "practice makes perfection";
  2. Um trabalho repetitivo pode nem ser aborrecido, se a pessoa aos gestos mecânicos juntar o relacionamento com o cliente (neste caso, utente).

Como dador de sangue e, noutras ocasiões, para análises clínicas, já fiquei com enormes hematomas e já fui atendido por enfermeiras incapazes de encontrar uma veia...
Para além do jeito com que cada um nasce, é a prática que permite melhorar e aperfeiçoar.

Por isso digo que a repetição está subvalorizada. É preciso praticar, repetir, para conseguir melhorar o nosso desempenho.
Seja a recolher sangue, seja a dar aulas, seja a escrever posts em blogues... em tudo.

Por muito repetitivo que seja um trabalho, se for temperado com relacionamento com clientes, acaba por ser sempre diferente... porque as pessoas são todas diferentes.
Se nos dermos ao trabalho de dar atenção ao cliente, vamos verificar que são todos diferentes.
Portanto o trabalho não é assim tão repetitivo.

Alguma sugestão para gerir as tarefas repetitivas?

PS: talvez para complementar o meu elogio à repetição, acabo de receber uma chamada do hospital a dizer-me para ir lá... repetir as análises!!!

0 comentários: