Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 13 de setembro de 2011

4 segredos para a implementação do marketing

Na sequência dos posts anteriores sobre marketing 2.0, hoje abordarei a fase de implementação.

Depois de definido o posicionamento desejado para a nossa marca, é preciso concretizá-lo, ou antes, tentar concretizá-lo.
É preciso convencer o cliente de a nossa marca é aquilo que escolhemos que ela deve ser. Se definimos que a nossa marca deve ser a mais leve do mercado, é preciso convencer os potenciais clientes de que isso é verdade.

É aqui que as coisas mais vezes correm mal, mas se tivermos feito bem o nosso trabalho de segmentação, o mercado alvo será sensível a esta imagem e escolherá a nossa marca, porque prefere as marcas mais leves.

Como convencer o cliente de que a nossa marca é aquilo que escolhemos (neste caso, a mais leve)?

São essencialmente 4 as ferramentas para convencer as pessoas.
Primeiro, ajuda se o Produto for mesmo aquilo que queremos que as pessoas pensem dele (o mais leve).
Depois, há que definir um Preço que esteja de acordo com a imagem que pretendemos para a marca (não esquecer que o preço funciona muitas vezes como indicador de qualidade). Queremos que a nossa marca seja vista como uma alternativa low cost, ou uma marca premium? Que preço deve ter o produto mais leve do mercado?
Em terceiro lugar, é importante disponibilizar o produto aos clientes em locais (distribuição) que estejam de acordo com a imagem que pretendemos para a marca. Se queremos ser uma marca premium, ou low cost, devemos escolher os pontos de venda de acordo com essa imagem. Neste caso, seria necessário colocar o produto à venda em lojas onde os clientes esperem encontrar marcas "leves".
Finalmente, é necessário dizer aos potenciais clientes que a nossa marca... é a mais leve. Ou seja, é preciso conseguir captar a atenção dessas pessoas, transmitir essa mensagem e fazer com que eles acreditem. Promoção.

A web 2.0 pode ajudar cada uma destas tradicionais variáveis do marketing mix, ou 4 Ps:
Produto - são muitas as ferramentas para envolver os potenciais clientes na configuração do produto, ou mesmo no seu desenvolvimento. Em geral, a web 2.0 (em particular as redes sociais) facilita a recolha de feedback, que pode ser importantíssimo para "afinar" o produto de acordo com as preferências do mercado.
Preço - a web 2.0 trouxe maior visibilidade para os sites de leilões, mas trouxe também o famoso modelo de negócio fremium. Em geral, as mesmas ferramentas referidas no ponto anterior, também podem ajudar a avaliar a sensibilidade ao preço do consumidor.
Distribuição - o ecommerce e, mais recentemente, o social commerce representam alternativas para chegar aos clientes, onde quer que eles se encontrem, no horário que mais lhes convém. Os modelos de negócio O2O vão mais longe, levando os potenciais clientes aos pontos de venda offline.
Promoção - a publicidade online (tanto display como ppc) nas suas diversas formas representa um peso cada vez maior dos gastos das empresas em promoção, precisamente por ajudar a ultrapassar as dificuldades que a publicidade tradicional enfrenta no mundo de hoje (excesso de mensagens, "fuga" à publicidade, falta de credibilidade da publicidade,...)

Com todos estas ferramentas, a web 2.0 é fundamental para um esforço de marketing eficaz e concertado.
Mais sugestões de ferramentas a usar na implementação da estratégia de marketing?


0 comentários: