Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Sonhos, intenções e acções

Uns falam de sonhos e de intenções, que nunca passam do papel.
E, quando conseguem concretizar as intenções, dá em desastre.
Outros, anunciam os sonhos, apresentam as intenções e traduzem tudo isso em acções de sucesso.

De que falo?
Microsoft e Apple, para exemplificar.

A MS anunciou uns tais de tablet PCs, em Janeiro deste ano, quando se sabia que a Apple ia lançar o iPad.
Passou um ano e nada...
A Apple vendeu uns milhões de iPads, enquanto a MS... não lançou nada do prometido.
Noutros casos, lançou mesmo no mercado os produtos que anunciou, mas o desastre foi tão grande que os deixou de comercializar em poucos meses (Kin).

Agora anuncia novamente que vai lançar um Tablet PC, a correr o Windows 7, fabricado pela Samsung.


Será que sim?


A Apple, há dez anos que vem sucessivamente anunciando e lançando novos e inovadores produtos, que revolucionaram vários mercados (iPod, iPhone, iPad, ...).

Nem todos esses produtos foram um sucesso, mas a evolução das vendas e da valorização bolsista da Apple marca uma diferença notável em relação à MS, apesar desta ter, à partida, mais e melhores meios à sua disposição.

Acham que o mais importante, na inovação, é a geração de ideias ou a capacidade de as concretizar e fazer chegar ao mercado?

2 comentários:

Binhas disse...

Capacidade de concretizar sem duvida.
Fazer, fazer, fazer, fazer!

Fernando Gaspar disse...

Fazer, fazer, fazer?

Gosto muito de Seth Godin, um dos autores de marketing mais influentes nos dias de hoje, que diz isso de outra forma:
"Se não entregarmos, não interessa nada" (tradução minha).

Fazer, concretizar, vender e entregar!

No entanto, sem a primeira parte, sem gerar boas ideias, é difícil inovar...